Saúde no Clique » Saúde da Mulher » Corrimento Vaginal

Corrimento Vaginal

Compartilhar no Facebook

corrimento vaginal é uma resposta natural do organismo da mulher e pode, ou não, ser indicador de alguma doença. Um corrimento normal apresenta cor clara ou esbranquiçada, semelhante à clara do ovo, não tem cheiro forte, não arde, nem coça. Já um corrimento vaginal branco, amarelo ou esverdeado, com cheiro muito forte, que arde e causa coceira vaginal já é sinal de alguma doença.

Corrimento Vaginal Branco com Coceira

Um corrimento vaginal branco e espesso, com pouco cheiro, parecido com leite coalhado ou queijo tipo cottage, acompanhado de vermelhidão na região da vagina, muita coceira e ardência ao urinar, pode ser sinal de candidíase, uma infecção causada por fungos.

Os sintomas da candidíase tendem a piorar antes da menstruação e melhoram com o início da mesma.

Corrimento Vaginal Branco, Amarelado ou Esverdeado

  • Tricomoníase: É uma doença sexualmente transmissível que produz um corrimento vaginal abundante, pouco espesso, espumoso, mal cheiroso de cor acinzentada, amarelada ou esverdeada;
  • Vaginose bacteriana: É uma infecção que acomete com maior frequência mulheres com um número maior de parceiros sexuais, sendo rara nas sexualmente inativas. O corrimento vaginal é delgado, homogêneo, geralmente de cor branca, acinzentada ou amarelo-esverdeada. Pode causar coceira vaginal, inflamação e irritação;
  • Vaginite atrófica: O corrimento vaginal neste caso é delgado, aquoso, com mau cheiro, de cor amarelada e, ocasionalmente, pode conter sangue. A vaginite atrófica é uma inflamação relacionada com a atrofia muscular da vagina, podendo ocorrer na menopausa, pós-parto, amamentação ou sempre que houver uma diminuição dos níveis de estrogênio;

Corrimento Vaginal Purulento

  • Clamídia: É uma doença sexualmente transmissível assintomática na maioria dos casos, mas que pode apresentar corrimento vaginal purulento, sangramento após as relações sexuais ou entre as menstruações, dor abdominal e dor durante o ato sexual;
  • Gonorréia: Doença sexualmente transmissível, muitas vezes assintomática nas mulheres, mas que pode provocar um corrimento vaginal espesso e purulento.

Corrimento Vaginal na Gravidez

O corrimento vaginal na gravidez é comum e muitas vezes está associado às alterações fisiológicas que acontecem nessa fase. Existe também uma maior vulnerabilidade para infecções vaginais, como a candidíase, por exemplo.

Corrimentos vaginais purulentos, com mau cheiro, acompanhados de coceira ou dor abdominal devem ser sempre investigados. Um tratamento adequado pode prevenir complicações tanto para a mãe quanto para o bebê.

Tratamento do Corrimento Vaginal

O tratamento do corrimento vaginal é feito com medicamentos e/ou cremes vaginais, dependendo da doença e do agente causador. Alguns remédios caseiros podem auxiliar o tratamento, ma sé fundamental consultar um médico para que seja feito um diagnóstico preciso e a causa seja devidamente tratada.

Veja também