Descubra para que serve o Ginkgo Biloba e conheça seus benefícios

O ginkgo biloba é uma planta de origem chinesa com propriedades medicinais, que serve principalmente para melhorar a memória e as funções cerebrais em pessoas idosas, sendo também indicado no tratamento da labirintite e fase inicial do Alzheimer.

Descubra para que serve o Ginkgo Biloba e conheça seus benefícios

Os benefícios do ginkgo biloba estão relacionados com o aumento do fluxo sanguíneo que ele promove, o que melhora a oxigenação das células e inibe a coagulação do sangue.

Indicações do Ginkgo Biloba

Graças à sua capacidade de melhorar a circulação sanguínea, o ginkgo biloba pode ser usado para tratar diversos distúrbios e sintomas provocados pela deficiência do fluxo sanguíneo cerebral, além de problemas circulatórios.

Algumas das indicações do ginkgo biloba incluem: Distúrbios de memória e funções cognitivas, como raciocínio, aprendizagem e imaginação, tonturas, dor de cabeça, vertigem, zumbidos, estágio inicial de demências, como o Alzheimer, distúrbios circulatórios periféricos (claudicação intermitente), insuficiência vascular cerebral, entre outros.

Modos de uso do Ginkgo Biloba

O ginkgo biloba pode ser usado externamente em tinturas ou extratos alcoólicos em banhos, cataplasmas, compressas, pomadas (pó das folhas) e ainda em sabonetes com o extrato cru de ginkgo biloba, que auxiliam o tratamento da acne.

Já o uso interno do ginkgo biloba inclui chá, extrato e cápsulas, que devem ser tomados nas seguintes doses:

  • Chá (tem pouca ação terapêutica devido à pequena quantidade de princípios ativos): 20 a 30 g de ginkgo biloba por cada litro de água;
  • Extrato fluido: 0,5 ml, 3 vezes ao dia;
  • Comprimidos ou cápsulas com extrato seco de ginkgo biloba: 80 a 160 mg/dia, de preferência à noite.

Recomenda-se evitar o uso interno contínuo de ginkgo biloba por tempo prolongado.

Possíveis Efeitos Colaterais do Ginkgo Biloba

  • Distúrbios gastrointestinais;
  • Dor de cabeça;
  • Reações alérgicas na pele, com vermelhidão, coceira e inchaço;
  • Enjoo;
  • Palpitações;
  • Hemorragias;
  • Diminuição da pressão arterial (hipotensão).

O ginkgo biloba é contraindicado durante a gravidez e amamentação.

Também pode lhe interessar:

Gingko Biloba: Entenda por que não engorda e ajuda a emagrecer