Saúde no Clique » Sem categoria » Exames de Vista

Exames de Vista

Compartilhar no Facebook

Em que circunstâncias se devem fazer exames de vista

Se você tem dificuldades de focagem, vê tudo enevoado ou tem dores nos olhos, é possível que sofra de um dos quatro defeitos de refração. Existem quatro tipos de defeitos de refração:

Miopia (vista curta)

Os míopes têm dificuldade em ver objetos à distância, mas vêem suficientemente bem de perto para poderem trabalhar. Uma criança míope, por exemplo, tem dificuldade em ver o quadro se estiver sentada no fundo da sala de aula, mas consegue ler facilmente um livro.

Hipermetropia (vista ao longe)

Os indivíduos que sofrem de hipermetropia têm dificuldade em ver com nitidez objetos próximos. Os jovens afetados por hipermetropia branda vêem com bastante nitidez objetos colocados à distância.

Presbiopsia (forma de hipermetropia que se manifesta na meia-idade)

Por volta dos 40-45 anos, o cristalino começa a endurecer. Os músculos que o controlam e que determinam a alteração da sua forma com vista à focagem nítida da imagem dos objetos próximos perdem a sua eficácia à medida que o processo de endurecimento se agrava. Torna-se difícil ler caracteres em corpo pequeno e os textos têm de ser afastados dos olhos.

Astigmatismo (visão distorcida)

Perturbação bastante comum decorrente de uma diferença de diâmetro entre a curva-tara da córnea (a superfície frontal do olho) e a curvatura horizontal. Sobretudo quando as diferenças de curvatura são acentuadas, a visão pode sofrer distorção.

É possível minorar as dificuldades devi- são mais brandas realizando qualquer trabalho ao perto, tal como 1cr, em condições de boa iluminação, de preferência com a luz incidindo de cima e da esquerda. Após os 4000 45 anos, é aconselhável fazer exames regulares de vista num optometrista ou num oftalmologista, a fim de evitar o desconforto resultante de defeitos de refração não corrigidos. Checkups regulares permitem ainda detectar urna fase inicial de doenças de olhos, como o glaucoma e outras que, não sendo diagnosticadas, podem causar graves deficiências de visão.

Se você notar qualquer das perturbações acima mencionadas não associadas a outros sintomas, recorra a um oftalmologista. O médico poderá examinar a visão de cada olho primeiro com um quadro de letras de várias dimensões e em seguida com o mesmo quadro, mas observando através do orifício de um disco que concentra a luz. Se neste segundo exame a visão revelar mais acuidade, o problema será devido provavelmente a um defeito de refração. Poderá também examinar mais exaustivamente os olhos e receitar óculos ou lentes de contato em casos de hipermetropia ou de presbiopsia, lentes convexas; em casos de miopia, lentes côncavas. Casos de astigmatismo requerem urna correção cilíndrica nas lentes.

Uni outro sintoma que deve ser imediatamente comunicado ao médico logo que detectado é o estrabismo, ou a visão de duas imagens cru vez de uma quando se olha numa determinada direção.

Em recém-nascidos e crianças pequenas a causa e normalmente uma deficiência no desenvolvimento de uma visão adequada com a utilização simultânea de ambos os olhos. Nestes casos, o estrabismo pode tornar-se aparente apenas na idade de 3 a 4 anos, ou mesmo mais tarde, quando a criança começa a ver livros e imagens com maior concentração do que o fazia quando era menor.

Em crianças mais velhas e adultos, o estrabismo pode ser causado por lesões, infecções graves, problemas circulatórios ou pressão nos nervos que estimulam os músculos responsáveis pelos movimentos oculares.

O oftalmologista fará testes nos movimentos dos olhos, observando ambos fixarem qualquer objeto (como uma agulha, por exemplo) que é deslocado no sentido lateral ou vertical. Pedirá ainda ao paciente que fixe um objeto com um dos olhos vendados e retirará a venda quando a visão se encontrar fixa, a fim de verificar se o olho previamente vendado olha na mesma direção do primeiro.

E provável que realize ainda um determinado número de testes, incluindo um exame de fundo de olho com um oftalmoscópio, depois de dilatar a pupila com gotas oftálmicas.

Uma vez confirmado o diagnóstico de estrabismo, o especialista providenciará para que o doente receba tratamento ministrado por um ortopedista (especialista em exercícios para os olhos); a criança pode ter de usar óculos especiais e/ou uma venda num olho durante algum tempo.

Em crianças mais velhas e adultos, pode ser necessária uma série de testes, incluindo análises de sangue e radiografias, a fim de estabelecer a causa do estrabismo, ou ainda unia intervenção cirúrgica.

Uma vez constatada a impossibilidade de evitar o desenvolvimento do estrabismo, é possível estar atento e comunicar ao médico qualquer suspeita de estrabismo freqüente ou persistente após 6 meses de idade.

Uma vez diagnosticado o estrabismo, só é possível evitar lesões permanentes num dos olhos seguindo estritamente o tratamento aconselhado.

Prognóstico

Desde que o tratamento seja administrado numa fase inicial, o prognóstico é favorável: a visão é corrigida e são evitadas lesões permanentes. Não é possível devolver a visão do olho preguiçoso se o estrabismo não for tratado a tempo, se bem que são possíveis operações com fins estéticos.

O prognóstico relativamente ao estrabismo resultante de outras causas que não uma visão binocular incorreta depende das causas subjacentes.

Veja também