Alimentos Ricos em Vitamina A

Os principais alimentos ricos em vitamina A são aqueles de origem animal, como:

  • Fígado;
  • Gema de ovo;
  • Óleo de fígado de peixes;
  • Leite integral e derivados.

Outros alimentos fontes de vitamina A são as frutas e vegetais de cor amarela ou laranja. Destes, os mais ricos em vitamina A são a batata doce, a cenoura e a manga.

Os alimentos ricos em vitamina A de origem animal já contém a vitamina A pré-formada. Já os de origem vegetal fornecem apenas provitaminas A, como o β-caroteno, que podem ser transformadas em vitamina A pelo organismo.

A vitamina A é essencial para o bom funcionamento da visão, além de exercer funções importantes na pele, na reprodução, no desenvolvimento embrionário e no sistema imunológico.

Lista de Alimentos Ricos em Vitamina A

  • 1 bife de fígado: 10.700 microgramas;
  • 1 cenoura grande: 2.025 microgramas;
  • 2 colheres de sopa de batata doce: 1.310 microgramas;
  • 1/2 xícara de abóbora: 1.050 microgramas;
  • 1 manga: 805 microgramas;
  • 1 pires de espinafre: 739 microgramas;
  • 1 fatia de melão: 561 microgramas;
  • 1 copo de suco de tomate: 283 microgramas;
  • 2 colheres de sopa de couve: 250 microgramas;
  • 1 ovo de galinha: 225 microgramas;
  • 1 pimentão vermelho: 212 microgramas;
  • 2 fatias de queijo prato: 72 microgramas.

A dose diária recomendada de vitamina A é de 900 microgramas para homens e 700 microgramas para mulheres.

Veja também: 8 Benefícios da Vitamina A

Importância da Vitamina A na Alimentação

  • Protege a córnea, sendo essencial para o bom funcionamento dos olhos;
  • Atuam no crescimento e no desenvolvimento das crianças;
  • Permitem o crescimento do feto em mulheres grávidas;
  • Mantêm as mucosas úmidas e saudáveis, participando na defesa do organismo e protegendo contra diarreias e infecções respiratórias;
  • A vitamina A é um poderoso antioxidante que protege o corpo dos radicais livres, prevenindo o envelhecimento precoce, doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer.

A falta de vitamina A pode causar:

  • Cegueira noturna ou alterações oculares que podem levar à cegueira total;
  • Diminuição da produção de muco;
  • Aumento do risco de infecções.