Como anda o seu Apetite Sexual?

"Excesso de trabalho prejudica a vida familiar e apetite sexual".

Como seria de se esperar, os ingleses culpam o:

"tempo demasiado ao trabalho. Não têm apetite sexual nem desejo de conviver com a família quando chegam em casa".

Creio que se a pesquisa fosse feita entre os brasileiros os resultados não seriam, conceitualmente, diferentes.

"Cerca de um terço admitiu que o cansaço provocado pelo excesso de trabalho é a causa da deterioração de sua vida sexual e 14 por cento admitiu a perda ou diminuição da libido."

O sexo funcionaria como um relaxante, mas além da queda da libido temos:

"Às vezes chega em casa tão cansado que não consegue nem mesmo manter uma conversa".

Então temos que nos preocupar em dobro, pois a comunicação em casa é fundamental para a nossa descontração e bem-estar.

Manter o(a) parceiro(a) atualizado(a) das nossas dificuldades e realizações profissionais é uma ótima forma de consolidação do casamento.

Desta forma, poderá não ser surpresa quando um dos dois chegar em casa e tiver que dar a notícia que foi despedido.

Um casal solidário enfrenta e vence situações adversas com muito mais facilidade do que cada um isoladamente, com seu problema. Afinal de contas, o casamento, formal ou não, nada mais é do que um contrato de solidariedade.

Claro que devem ser diálogos francos, amigáveis, sem a preocupação de expor os medos e fraquezas e sem a egocêntrica concorrência entre as partes.

Afinal, se não formos honestos e sem máscaras dentro de casa, no núcleo da família, onde e quando seremos?

Esta aproximação facilita inclusive o contato sexual ou, no mínimo, faz o(a) companheiro(a) entender (e eventualmente ajudar) na situação de ansiedade e stress pela qual o outro está passando.

Mas pelo que vemos, os estragos são ainda mais graves:

"Mais de um terço dos entrevistados disse que, nos últimos 12 meses, cometeram erros que iam desde a má administração pessoal e de projetos, até danos materiais e lesões em si mesmos, devido ao cansaço".

Os próprios entrevistados nos dão a pista de uma parte da solução, pois se uma das causas é o cansaço, a solução é descansar.

Bem, você logo pensou em férias, não foi?

Mas de que adianta ter o corpo deitado numa praia ou no deck da piscina de um transatlântico, se sua mente continua agitada ou esgotada?

Infelizmente quase nada. Férias são uma distração para uma grande parcela das pessoas, útil como quebra da rotina, mas não um efetivo descanso e revitalização do corpo e da mente como gostaríamos que fosse.

Descansar, assim como o sono, é diminuir o nível de atividade física e mental.

Mas as pessoas estão tão fragilizadas, que apenas o sono regular não tem sido suficiente para resgatar a fadiga diária, quanto menos a revigoração dos sistemas nervoso e imunológico.

Temos nos beneficiado da tecnologia de diversas formas, mas ainda poucas pessoas estão sendo informadas de como funciona o nosso cérebro e como podemos adicionar momentos de real, efetivo e mensurável descanso em nossa rotina diária, para restaurar e manter a nosso pleno potencial, com vigor, bem-estar e felicidade.