Como se Livrar das Drogas

Deixar de usar drogas, abandonar o vício não é fácil.

Essas substâncias causam uma grande dependência.

Por isso é essencial buscar ajuda profissional.

O primeiro passo é a família e o próprio dependente admitirem que existe o problema, encarando-o de frente, procurando um programa de desintoxicação.

É fundamental tratar essa dependência, porque o vício compromete toda a vida da pessoa.

O dependente acaba se afastando da família, dos amigos, tem problemas para manter-se num emprego e pode até ver-se envolvido em crimes, roubando para arrumar dinheiro para sustentar o vício.

O tratamento para dependentes costuma envolver várias iniciativas indicadas pelo médico, entre elas a colaboração da família, que poderá ajudar apoiando a pessoa nas horas difíceis, ajudando com a medicação, participando de grupos de orientação.

A família deve buscar o equilíbrio, pois os dois extremos são prejudiciais: tanto ser exagerado, fazendo escândalo porque achou um pouco de droga com o filho, ou desligado demais, ignorando um pedido de socorro.

Para cada droga há um tipo de tratamento e, geralmente, combinam o uso de medicação com terapia.

Um dos maiores desafios nesse trabalho é inserir novamente o dependente no convívio social.

Por isso os médicos não costumam recomendar o isolamento ou internamento, pois essa atitude pode ser ainda mais prejudicial, provocando revolta.

Como a pessoa que entra no mundo das drogas normalmente está fugindo de uma realidade difícil, é necessário mudar esse panorama para conseguir o objetivo final, que é a abstinência, O dependente precisará encontrar motivação real na sua vida para não precisar recorrer a artifícios.

Muitas vezes é preciso mudar o grupo social em que se vive, porque quem é dependente costuma freqüentar turmas que usam drogas e é mais difícil deixar o vício vendo outras pessoas usando.

A fase mais crítica da abstinência acontece nos três primeiros meses.

Se mesmo tentando, com um bom acompanhamento médico e apoio, o dependente tiver uma recaída no meio do caminho, isso não deve ser motivo para desanimar.

A recaída deve ser vista como uma oportunidade para perceber onde foram cometidos os erros e tentar novamente, corrigindo as falhas e buscando outro empenho.

É importante evitar situações de risco, tensão, momentos desagradáveis que possam levar a sentimentos como raiva, ansiedade, agitação, o que pode provocar a vontade de buscar refúgio nas drogas.

Somente tomando essa consciência e querendo de fato livrar-se de’e vício o dependente vai conseguir vencer.

Sem esquecer que vitorioso não é quem vence os outros; a vitória está em vencer a si mesmo, ultrapassando limites e superando os próprios vícios.

Essa é a verdadeira vitória.

A vitória da vida.