O que pode Provocar a Má Digestão

As funções digestivas são distribuídas ao longo de nove metros de extensão linear do tubo digestivo, que se estende da boca ao ânus. Dessa forma, os macro nutrientes, carboidratos, proteínas e lipídeos que são encontrados nos alimentos na forma de moléculas complexas e no tubo digestivo, sofrem fragmentação em seus constituintes moleculares mais simples, com glicose, aminoácidos e ácidos graxos. Somente após essa fragmentação é que os alimentos tornam-se aptos a serem absorvidos. Se a digestão não for completa o corpo deixa de absorver nutrientes.

Ao contrário do que muita gente imagina, a digestão e a absorção não ocorrem em uma única etapa, com funções isoladas. São processos contínuos com várias reações químicas e mecânicas ocorrendo simultaneamente. Uma falha em uma fase, dificulta as demais.

Os métodos de processamento e cozimento dos alimentos podem iniciar uma leva quebra dos compostos complexos, como o amido e o colágeno, antes mesmo de serem ingeridos. A água e o álcool são absorvidos nas suas formas originais. Muito comum em pessoas com uma rotina atribulada, mastigar às pressas o alimento e introduzi-lo em grandes proporções no estômago, diminuindo os benefícios da mastigação na quebra dos alimentos, implicam numa sobrecarga para o sistema digestivo. Dica: Refeições freqüentes são mais facilmente toleráveis do que três grandes refeições.

Má digestão, indigestão ou dispepsia, é um termo indefinido freqüentemente usado para descrever qualquer desconforto que ocorra como conseqüência de uma desordem no trato digestivo. O centro do problema pode ser o estômago, ou pode ser um sintoma reflexo de um desarranjo de algum outro órgão ou uma doença da vesícula biliar, uma apendicite crônica ou diabetes. Indigestão como manifestação de uma psiconeurose também é freqüentemente encontrada. A associação entre distúrbios gastrointestinais e emocionais é tão freqüente que esta relação não pode ser negada. Conheço algumas pessoas com indicação para o psicólogo. Além dos distúrbios psíquicos, outras causas de indigestão são comer rápido, má mastigação, excesso de alimentos de (difícil digestão), excesso de alimentos gordurosos ( retardam demais a digestão), excesso de líquidos junto às refeições (dilui o suco gástrico), prática de exercícios logo após às refeições, alimentos estragados (fora do prazo de validade ou rançosos) ou fritos em óleo velho.

Alimentos ingeridos sob tensão emocional, retardam a digestão. Medo e raiva produzem o efeito imediato de lentificar o processo de digestão e os aborrecimentos tendem a produzir um efeito retardado. As emoções estimulam o hipotálamo, que atua sobre o sistema nervoso autônomo para deprimir a secreção, inibir o peristaltismo e aumentar o tônus dos esfíncteres. A propulsão dos alimentos através do trato intestinal é consideravelmente retardada. Por estas e outras, a hora do almoço tanto na empresa quanto em casa também deve ser uma hora de lazer.

Remédios efervescentes aliviam o problema, mas são absolutamente paliativos. Se o problema for freqüente, antes mesmo de se iniciar o tratamento dietético (isto mesmo, tratamento), a causa da indigestão deve ser determinada. Os sintomas podem ser um aviso de uma doença mais séria. Tratar a causa seja mental ou física, é o mais importante. O tratamento dietético consiste em uma dieta bem balanceada fracionada, leve, com ênfase à maneira de se alimentar e a seus hábitos dietéticos.