Sarampo: Sintomas, Tratamento e Prevenção

O sarampo é uma doença causada por um vírus e transmitida por secreções respiratórias expelidas pela pessoa infectada ao falar, tossir ou espirrar. Os sintomas do sarampo são:

  • Tosse;
  • Coriza;
  • Olhos vermelhos;
  • Febre;
  • Exantema (erupções avermelhadas na pele):
    • É um sintoma típico do sarampo;
    • Inicia no tronco, não coça e dura pouco mais de 7 dias;
    • Logo no início do exantema surgem manchas brancas típicas nas mucosas, mais facilmente observadas na mucosa oral (manchas de Koplick).

Tratamento do Sarampo

Não existe um tratamento específico para o sarampo. O tratamento visa apenas aliviar os sintomas e combater possíveis complicações que podem ser tratadas, como a pneumonia.

Prevenção do Sarampo

A prevenção do sarampo dever ser feita através da vacina, que é recomendada em duas doses:

  • Aos 12 meses, com a vacina tríplice viral, que previne contra sarampo, caxumba e rubéola;
  • Aos 15 meses, com a quádrupla viral, contra sarampo, caxumba, rubéola e varicela.

A vacina contra o sarampo é extremamente eficaz e tem poucos riscos. Trata-se de uma vacina com vírus vivo e normalmente é administrada como parte da tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba), que precisa ser repetida aos 5 anos.

Todas as pessoas podem e deveriam tomar a vacina contra o sarampo, crianças e adultos não vacinados.

Transmissão do Sarampo

A transmissão do sarampo ocorre através de gotículas respiratórias e a doença é bastante contagiosa. Quase todas as pessoas que nunca tiveram sarampo adquirem a doença quando entram em contato com alguém contaminado.

O sarampo é contagioso durante os 2 dias que antecedem o exantema e até 5 dias depois.

Depois de ficar doente, o indivíduo fica imune até o fim da vida contra o sarampo e não corre mais o risco de contrair a doença.

Complicações do Sarampo

O sarampo pode provocar diversas complicações, sendo a pneumonia bacteriana a mais comum e a principal causa de morte em crianças desnutridas.

Além da pneumonia, o sarampo também pode levar a complicações neurológicas, como encefalite (inflamação no cérebro), que pode ser transitória ou evoluir e provocar a morte do doente (encefalite crônica).

A encefalite crônica ocorre anos após o sarampo, devido à permanência do vírus no sistema nervoso central do indivíduo. É uma complicação rara e de muita gravidade.

O sarampo é ainda mais grave em adultos, pois o diagnóstico é mais difícil e pode surgir pneumonia provocada pelo próprio vírus do sarampo, que pode ser bastante grave.