Sexo é bom para o Coração?

A RESPOSTA DO CORAÇÃO À ATIVIDADE FÍSICA

Toda atividade física determina alterações importantes e transitórias no nosso sistema cardiorespiratório. O número de batimentos cardíacos aumenta, ocorre elevação dos níveis de pressão arterial, a frequência e o volume de ar respirado por minuto também são incrementados. Dentro de determinados limites, estas alterações são benéficas para a saúde, no sentido de proporcionar melhora do condicionamento físico e os benefícios a ele relacionados, como melhor controle da pressão arterial, nos níveis de colesterol e glicose no sangue. E a atividade sexual, o que ela muda no nosso sistema cardiovascular ?

A “QUÍMICA” DO SEXO

A resposta do organismo ao sexo envolve mecanismos múltiplos e complexos, que interagem entre si para proporcionar um ato sexual agradável e satisfatório para os parceiros envolvidos. O início da química sexual principia-se com o desejo, o qual praticamente prepara o nosso organismo para o ato sexual propriamente dito. Nas fases preliminares, nossos sentidos táteis, visuais e mesmo olfativos tornam-se mais aguçados. Paralelamente, ocorrem aumentos dos batimentos e freqüência cardíacas; maior quantidade de glicose (combustível essencial para as células) é disponibilizada no sangue. Nesta fase, organicamente o nosso corpo está preparado para o ato sexual. Entretanto, é indispensável que a mente também o esteja; as tensões, frustrações e aborrecimentos do dia a dia devem ser postos de lado; a prioridade deve ser focalizada em todas as sensações que proporciona e ao mesmo tempo recebe do outro.

O SEXO PARA O PACIENTE CARDÍACO

Tendo em vista que o ato sexual determina sobrecarga do sistema cardiovascular, alguns cuidados devem ser tomados pelas pessoas com problemas cardiológicos. Indivíduos com pressão alta devem procurar controle dos níveis pressóricos com medicações e dieta pobre em sal. Pacientes que possuem obstrução nas artérias que irrigam o coração (artérias coronárias) devem conversar com seus cardiologistas sobre nível e intensidade da atividade sexual, no sentido de evitar crises de dores no peito (angina) ou mesmo infarto durante a atividade sexual.

Casos especiais envolvem aqueles pacientes que tiveram infarto do miocárdio e cirurgia de revascularização (com a colocação de pontes de safena). Deve-se respeitar um período mínimo de 4 semanas para uma relação sexual, sempre seguindo as orientações do médico cardiologista. Nunca deve ser usado medicações para melhora do desempenho sexual (especialmente o VIAGRA) sem análise prévia do quadro pelo médico assistente.

SEXO SEGURO PARA O CORAÇÃO

A atividade sexual é uma excelente maneira de realizar atividade física e ao mesmo tempo de proporcionar sensação de relaxamento físico e espiritual. O relacionamento afetivo do casal é um dos fatores mais importantes para o nosso bem estar. Assim, ajuda-se a combater o isolamento e a solidão, tornando-nos indivíduos socialmente mais ativos, mais pacientes e mais tolerante com as demais pessoas do nosso convívio diário.

Simbolicamente, o coração é o centro de nossas emoções; quem já sentiu a dor de uma separação ou de uma perda sabe o alcance dessas palavras. Portanto, a conjunção de um coração saudável tanto do ponto de vista espiritual e orgânico são fundamentais para um relacionamento sexual sadio, construtivo e seguro. Qualquer dúvidas quanto a sexo e problemas cardiológicos deve ser discutida e esclarecida com o seu médico. Não arrisque sua saúde usando medicações com potenciais efeitos colaterais, e , ao mesmo tempo, não se prive da atividade sexual a qual é parte integrante e importante das nossas vidas. Viva a vida em toda a sua plenitude com saúde e segurança.