Sintomas de Gordura no Fígado

Os sintomas de gordura no fígado (esteatose hepática) geralmente não se manifestam na fase inicial do problema (esteatose hepática leve). Porém, algumas pessoas com fígado gordo podem apresentar sintomas como:

  • Dor na região superior direita do abdômen;
  • Olhos e pele amarelados (icterícia);
  • Boca seca;
  • Indisposição após comer alimentos gordurosos.

Nos casos mais graves (esteatose hepática tipo II), quando a gordura no fígado é excessiva e permanece no órgão por muito tempo, pode ocorrer uma inflamação no fígado e a doença pode evoluir para cirrose hepática.

A gordura no fígado é mais comum em mulheres, podendo também aparecer em indivíduos magros que consomem pouca bebida alcoólica.

Veja também: Gordura no Fígado

Diagnóstico da Gordura no Fígado

Como a gordura no fígado geralmente não manifesta sintomas, o diagnóstico muitas vezes é feito por acaso, quando a pessoa faz exames por outros motivos.

Algumas formas de diagnosticar a esteatose hepática:

  • Alterações em exames de sangue para o fígado;
  • Aumento de tamanho do fígado verificado em exame físico, ultrassonografia de abdômen, tomografia ou ressonância magnética;
  • Pessoas que apresentam uma maior circunferência de cintura em relação ao quadril são suspeitas de terem gordura no fígado.

Causas de Gordura no Fígado

  • Excesso de bebidas alcoólicas;
  • Hepatites virais;
  • Diabetes, sobretudo do tipo II;
  • Sobrepeso ou Obesidade;
  • Colesterol ou triglicérides elevados;
  • Medicamentos como corticoides, estrogênio, antirretrovirais;
  • Cirurgias abdominais, como as realizadas para tratar a obesidade.

Tratamento da Gordura no Fígado

A gordura no fígado tem cura e o tratamento visa eliminar ou tratar as causas que desencadearam a doença. Algumas formas de tratamento:

  • Reeducação alimentar e exercícios físicos para emagrecer gradualmente. Um emagrecimento muito acentuado em pouco tempo pode piorar o quadro;
  • Não ingerir bebidas alcoólicas;
  • Controlar os níveis do colesterol e triglicérides, bem como o diabetes;
  • Substituição dos medicamentos, quando possível.