Veja como Usar a Hipnose para Emagrecer

É possível usar a hipnose para emagrecer através da combinação de hipnose clínica, terapia comportamental e técnicas imaginárias, pois combatem a ansiedade e a compulsão de comer, auxiliando assim a perda de peso.

O papel da hipnose no processo de perda de peso é ajudar a pessoa a resistir à ingestão compulsiva de alimentos muito calóricos, como doces, bolos, sorvete, salgadinhos, entre outros.

A hipnose também pode ser usada para fazer com que o indivíduo acredite que tem um balão cheio de ar dentro do estômago. O cérebro aceita que existe mesmo esse balão imaginário no estômago e a pessoa deixa de comer muito.

Como funciona a hipnose?

Durante a hipnose a pessoa entra num estado de relaxamento e a parte do cérebro responsável pela imaginação é estimulada. Porém, a pessoa fica consciente durante toda a hipnose, mas como se estivesse numa espécie de transe.

O cérebro então assimila o que está sendo sugerido como sendo real, semelhante ao que ocorre durante um sonho.

Porém, para emagrecer com a hipnose é necessário associar a técnica com sessões de terapia cognitiva comportamental.

Isso porque na terapia comportamental a pessoa irá deixar de associar a ideia de comer com emoções, como tristeza, ansiedade ou felicidade.

Hipnose para emagrecer funciona mesmo?

A hipnose para emagrecer funciona, porém, a técnica é eficaz apenas em pessoas mais suscetíveis à hipnose, o que corresponde a cerca de 15% da população.

O que faz com que alguém consiga ou não ser hipnotizado são as suas características genéticas.

Além disso, não existem evidências científicas que comprovem que a hipnose seja eficaz para combater o excesso de peso.

Portanto, para que a técnica do balão dentro do estômago funcione, é preciso que a pessoa seja mesmo muito suscetível.

A hipnose também não funciona por muito tempo, por isso é muito difícil manter o peso perdido à longo prazo recorrendo apenas à hipnose.

Assim, pode-se dizer que a hipnose auxilia a adesão a um tratamento para emagrecer, ajudando a controlar os impulsos alimentares, mas não pode ser considerada um tratamento para a obesidade.